Processadores russos: da substituição de importações à escassez e preços recordes - Noticia Final

Ultimas Notícias

Post Top Ad

Responsive Ads Here

Post Top Ad

sábado, 13 de maio de 2023

Processadores russos: da substituição de importações à escassez e preços recordes



Os processadores russos da MCST e da Baikal Electronics dobraram de preço desde o início de 2023. Isso se deve ao aumento da demanda nacional diante das sanções internacionais e dificuldades com a produção de novos lotes. Como isso afetará o mercado de computação e os usuários finais?


Da Elbrus a Baikal


MCST e Baikal Electronics são os maiores desenvolvedores domésticos de processadores. A MCST produz processadores Elbrus baseados em sua própria arquitetura VLIW (Very Long Instruction Word) e projetados para servidores, estações de trabalho e sistemas embarcados de alto desempenho. A Baikal Electronics fabrica processadores Baikal que usam uma licença para a arquitetura ARM (Advanced RISC Machine) e são direcionados a dispositivos de baixo consumo de energia, como laptops, tablets e smartphones.


Ambas as empresas iniciaram suas atividades na década de 2000 e receberam apoio do governo no âmbito do programa da substituição de importações. No entanto, enfrentaram uma série de problemas relacionados ao atraso tecnológico, falta de pessoal qualificado, baixa demanda de mercado e concorrência de fabricantes estrangeiros. Além disso, eles estão sujeitos a sanções internacionais que dificultam o acesso à tecnologia e recursos ocidentais.


Por que eles subiram de preço?


Desde o início de 2023, o custo dos processadores russos da MCST e da Baikal Electronics dobrou. De acordo com o varejista Chip and Dip, o preço dos processadores BE-T1000 atingiu 8,9 mil rublos cada, e o preço dos processadores Elbrus-8SV é de 250 mil rublos. Especialistas acreditam que a razão para isso é uma combinação de fatores de oferta e demanda.


Por um lado, a demanda por chips domésticos aumentou devido ao endurecimento das sanções dos EUA e da UE contra a Rússia em conexão com a situação na Ucrânia. Isso levou ao fato de que muitos clientes russos dos setores público e privado começaram a mudar para equipamentos de informática russos equipados com processadores domésticos.


O Baikal-S é o desenvolvimento mais bem-sucedido e competitivo da indústria russa de TI. Em termos de características, este chip é semelhante aos processadores da Intel e AMD de 2019 (Intel Xeon 6148 Gold)

— Ivan Samoylenko, sócio-gerente da agência B&C.


De acordo com a agência analítica IDC, em 2022 a participação dos processadores russos no mercado doméstico de servidores foi de 12% e no mercado de PCs - 8%. Isso é significativamente maior do que nos anos anteriores.


Por outro lado, o fornecimento de chips russos acabou sendo limitado devido às dificuldades com a produção de novos lotes. Os desenvolvedores russos dependem de parceiros estrangeiros para o fornecimento de equipamentos, materiais e tecnologias para processadores de manufatura. Em particular, a Baikal Electronics usa a fábrica taiwanesa TSMC para produzir seus chips em uma norma topológica de 28 nanômetros. No entanto, a TSMC se recusou a cooperar com parceiros russos após o início das hostilidades na Ucrânia. Além disso, o mercado global de microeletrônica está enfrentando escassez de componentes e sobrecarga devido à pandemia de coronavírus.


Quais as consequências?


O aumento dos preços dos processadores russos tem consequências positivas e negativas para o mercado de computadores e para os usuários finais.


Por um lado, isso estimula o desenvolvimento da microeletrônica nacional e aumenta sua competitividade. Os fabricantes russos recebem mais lucros e oportunidades de investimento em progresso científico e tecnológico. Os clientes russos recebem equipamentos mais confiáveis ​​e seguros que não são afetados por sanções e espionagem, o que é importante na atual situação geopolítica.


Nenhum antivírus conseguirá encontrar um "favorito" no processador

— Yuriy Panchul, engenheiro e designer ucraniano-americano.


Por outro lado, isso aumenta o custo de aquisição e manutenção de equipamentos russos e reduz sua disponibilidade para uma ampla gama de consumidores. Os processadores russos ainda são inferiores aos estrangeiros em termos de características e eficiência, e o mercado doméstico de microeletrônica ainda depende de fornecedores estrangeiros e não pode substituir totalmente as importações.


Quais são as perspectivas?


Os desenvolvedores de processadores russos estabelecem metas ambiciosas para o futuro. A MCST planeja lançar novos modelos Elbrus baseados em uma norma topológica de 16 nanômetros, que poderão competir com os processadores Intel e AMD. A Baikal Electronics planeja transferir a produção de seus chips para fábricas russas e desenvolver novos processadores baseados na arquitetura RISC-V, que é aberta e livre de restrições de patentes.


No entanto, para atingir esses objetivos, uma série de problemas devem ser superados, como a falta de pessoal qualificado, financiamento e infraestrutura. Também é preciso levar em consideração a dinâmica do mercado global de microeletrônica, que está em constante evolução e introdução de novas tecnologias e padrões. Os desenvolvedores de processadores russos terão que não apenas alcançá-los, mas também superar seus concorrentes estrangeiros.


O aumento dos preços dos processadores russos da MCST e da Baikal Electronics é resultado de uma combinação de fatores de oferta e demanda no mercado de tecnologia de computadores. Isso tem consequências positivas e negativas para a microeletrônica russa e para os usuários finais. Os desenvolvedores de processadores russos estabelecem metas ambiciosas para o futuro, mas, para alcançá-las, vários problemas e desafios devem ser superados. O mercado de processadores russos tem um grande potencial, mas requer grandes esforços e investimentos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad