Última palestra de Mearsheimer sobre a guerra na Ucrânia - Noticia Final

Ultimas Notícias

Post Top Ad

Responsive Ads Here

Post Top Ad

quarta-feira, 24 de maio de 2023

Última palestra de Mearsheimer sobre a guerra na Ucrânia

Moon of Alabama.


Ontem, o conhecido estudioso de relações internacionais John Mearsheimer deu uma palestra (vídeo, 1:33h) sobre a guerra na Ucrânia ao Comitê para a República .


Mearsheimer fez dois pontos principais:

A Ucrânia não pode vencer esta guerra porque a taxa de mortalidade nesta guerra está em seu desfavor. Mearheimer estima que dois ucranianos morrem por um soldado russo, mas diz que muitos de seus amigos acham que a proporção é mais de 3:1 ou 4:1. A razão para isso é a guerra estática no estilo da Primeira Guerra Mundial, na qual a artilharia é a arma mais mortal. A Rússia tem uma imensa vantagem de artilharia. Durante uma ofensiva, o atacante geralmente terá mais baixas do que o defensor. Mas nesta guerra o lado da Ucrânia foi (contra-)atacado na maior parte do tempo enquanto os russos defendiam.


A Ucrânia também tem uma população muito menor do que a Rússia. A proporção atual é de cerca de 5 russos para 1 ucraniano. Com uma população muito menor e baixas muito maiores, a Ucrânia ficará sem corpos aptos muito antes da Rússia.


Mearsheimer espera que a Rússia, que já incorporou quatro oblasts ucranianos mais a Crimeia, tome outros quatro oblasts da Ucrânia. (Eu previ isso em 24 de fevereiro de 2022, o dia em que a guerra começou. Esses oito oblast mais a Crimeia são terras historicamente russas habitadas pelo povo russo. Durante os últimos trinta anos, eles votaram consistentemente em candidatos pró-russos, enquanto o povo no oeste da Ucrânia consistentemente optou por candidatos anti-russos.) A Ucrânia acabará como um estado disfuncional (e pobre).


Mearsheimer diz que não haverá acordo de paz na Ucrânia. A guerra é vista por ambos os lados como existencial. A Ucrânia insiste em recuperar o território que vê como parte do país. A Ucrânia quer garantias de segurança do 'ocidente' às quais a Rússia se opõe. O problema do hipernacionalismo (fascismo) do lado ucraniano também torna a paz impossível. Depois, há o problema de que a Rússia, depois de ter sido enganada sobre os acordos de Minsk, não confia em nenhuma palavra 'ocidental'.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad