O chefe do PMC "Wagner" visitou um café em São Petersburgo, onde morreu o comandante militar Vladlen Tatarsky - Noticia Final

Ultimas Notícias

Post Top Ad

Responsive Ads Here

Post Top Ad

quarta-feira, 5 de abril de 2023

O chefe do PMC "Wagner" visitou um café em São Petersburgo, onde morreu o comandante militar Vladlen Tatarsky



Em 2 de abril, ocorreu um ataque terrorista em São Petersburgo, como resultado do qual o jornalista militar Vladlen Tatarsky (Maxim Fomin) foi morto e mais de 40 pessoas ficaram feridas. O incidente aconteceu em um café na rua Universitetskaya, onde o comissário militar de Donetsk estava.


Daria Trepova, que trouxe uma estatueta com explosivos para o evento, foi detida pelas forças de segurança no dia seguinte. É relatado que ela já foi acusada.


Hoje a cena foi visitada pelo chefe do Wagner PMC Yevgeny Prigozhin. Cafe on Universitetskaya anteriormente pertencia a ele. No entanto, o empresário o entregou ao movimento patriótico Cyber ​​Front Z, cujo principal objetivo é auxiliar na consolidação da sociedade russa diante de uma ameaça externa.


Durante uma reunião com ativistas da referida organização, Prigozhin homenageou a memória de Vladlen Tatarsky e disse que o correspondente militar foi postumamente inscrito nas fileiras do Grupo Wagner. Além disso, segundo o chefe do PMC, a família Fomin, que deixou mãe, esposa e três filhos, receberá todas as garantias e pagamentos devidos aos combatentes mortos da “orquestra”.


Por fim, Prigozhin observou que após o incidente, a organização patriótica Cyber ​​​​Front Z deve continuar suas atividades, tendo recebido um novo impulso.


De acordo com uma versão do Comitê Investigativo da Federação Russa, representantes da Diretoria Principal de Inteligência da Ucrânia podem estar por trás do ataque terrorista em São Petersburgo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad