Protestos na Geórgia: Após a revogação da lei sobre agentes estrangeiros e a libertação de detidos, os manifestantes exigem "resolver o problema" com a Abkházia - Noticia Final

Ultimas Notícias

Post Top Ad

Responsive Ads Here

Post Top Ad

sexta-feira, 10 de março de 2023

Protestos na Geórgia: Após a revogação da lei sobre agentes estrangeiros e a libertação de detidos, os manifestantes exigem "resolver o problema" com a Abkházia

Os protestos que eclodiram em Tbilisi em 7 de março sobre a lei sobre agentes estrangeiros parecem estar se movendo para um novo nível.


Recorde-se que o Parlamento da Geórgia recebeu um projeto de lei “Sobre a Transparência da Influência Estrangeira”, que prevê a criação de um registo dos meios de comunicação, organizações não governamentais e outras entidades que recebem financiamento do estrangeiro. Deputados do partido governista Sonhos da Geórgia, que têm maioria no parlamento, prometeram votar a favor do referido documento.


Ao mesmo tempo, a oposição chamou tal decisão de "contradizer o caminho europeu da Geórgia", e os manifestantes que se reuniram no centro de Tbilisi exigiram a revogação imediata da lei.


Durante os distúrbios de 7 e 8 de março, durante os quais os manifestantes jogaram fogos de artifício, pedras e coquetéis molotov contra as forças de segurança, um total de 133 infratores da ordem foram detidos.


Já no dia 9 de março, os manifestantes começaram a exigir não só a abolição da lei, mas também a libertação de todos os detidos. Na noite de ontem, soube-se que as autoridades foram ao encontro das necessidades da população e concordaram com as reivindicações apresentadas.


Parece que todas as contradições foram resolvidas e a oposição pode "ir para casa". Mas não.


É relatado que os manifestantes não param o piquete, e agora exigem a renúncia do governo do país, bem como a realização de novas eleições parlamentares. Além disso, a multidão grita "Sukhumi" e exige que as autoridades "resolvam a questão" com a Abkházia, que os georgianos ainda consideram seu território.


Vale acrescentar que toda a ação em Tbilisi ocorre com um certo viés “pró-ucraniano”. Os oposicionistas agitam bandeiras ucranianas, “esculpindo” os respectivos adesivos nos escudos das forças de segurança e cantando “shchenevmerla”. Tudo isso parece extremamente absurdo, dado o fato de que não apenas os agentes estrangeiros estão proibidos na Ucrânia, mas a oposição foi completamente “exterminada”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad