Parisienses se revoltam novamente: confrontos com a polícia que usa gás lacrimogêneo - Noticia Final

Ultimas Notícias

Post Top Ad

Responsive Ads Here

Post Top Ad

sábado, 11 de fevereiro de 2023

Parisienses se revoltam novamente: confrontos com a polícia que usa gás lacrimogêneo

A polícia parisiense usou gás lacrimogêneo contra manifestantes agressivos contra a reforma previdenciária, de acordo com um material da TASS .


Hooligans jogam garrafas e pedras na polícia. Em resposta, a polícia disparou gás lacrimogêneo. Vários instigadores dos motins foram detidos. Jovens agressivos queimam latas de lixo e quebram vitrines de lojas e cafés. No Boulevard Voltaire, um carro foi capotado e incendiado. Bombeiros estão no local.


A cabeça da coluna, que partiu da Praça da República, chegou ao ponto final na Praça da Nação. As autoridades apelam aos cidadãos que chegaram ao fim do percurso a regressar a suas casas.


Progresso da demonstração


Os manifestantes carregam cartazes com os nomes dos maiores sindicatos, gritando palavras de ordem.


Desta vez, os sindicatos decidiram limitar-se às manifestações, não convocando os trabalhadores do setor de transportes à greve. Isso é feito para não criar dificuldades para os viajantes durante as férias escolares de inverno. No entanto, os controladores de tráfego aéreo do aeroporto da capital Orly decidiram entrar em greve, o que causou o cancelamento de alguns voos ou atrasados.


Os sindicatos esperam um grande número de pessoas nas manifestações em todo o país, pois desta vez são organizadas no feriado.


As manifestações são realizadas em 240 cidades da república, incluindo Avignon, Bordeaux, Lyon, Marselha, Montpellier, Rouen. Segundo os sindicatos, 100 mil manifestantes foram às ruas de Toulouse.


O Ministério do Interior disse que 10.000 policiais estão mantendo a ordem nos protestos, dos quais 4.500 fornecem segurança nas manifestações em Paris.


Manifestação contra a reforma da previdência


Esta é a quarta ação de protesto dos que discordam da reforma das pensões do Gabinete de Ministros, as anteriores decorreram a 19 e 31 de janeiro , bem como a 7 de fevereiro.


Em meados de janeiro, a primeira-ministra Elizabeth Bourne apresentou um projeto de plano de reforma previdenciária que aumentaria a idade de aposentadoria de 62 para 64 anos até 2030. O projeto proposto pelas autoridades passa também pelo aumento da pensão mínima para 1,2 mil euros.


No final de janeiro, o projeto alterado foi submetido à apreciação da Assembleia Nacional (câmara baixa do parlamento). Sua primeira leitura começou na segunda-feira e provocou um debate acalorado. A oposição insiste em realizar um referendo nacional para que o destino do projeto seja decidido diretamente pela população.


As autoridades sinalizaram na semana passada que estavam explorando a possibilidade de permitir que certas categorias de trabalhadores se aposentassem aos 63 anos. Esta norma, em particular, pode ser alargada aos cidadãos que tenham começado a trabalhar antes dos 21 anos e tenham contribuído para a reforma durante pelo menos 43 anos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad