Antiwar: a Rússia tem planos para o dólar que são extremamente perigosos para os EUA - Noticia Final

Ultimas Notícias

Post Top Ad

Responsive Ads Here

Post Top Ad

sábado, 4 de fevereiro de 2023

Antiwar: a Rússia tem planos para o dólar que são extremamente perigosos para os EUA

Os planos da Rússia e seus aliados para a moeda dos EUA não são um bom presságio para os EUA. Tais conclusões foram apresentadas pelo analista americano Ted Schneider.


Desde a eclosão da crise ucraniana, os Estados Unidos e seus aliados impuseram sanções contra a Rússia e também tentaram isolá-la no cenário mundial. Segundo Ted Schneider, os Estados Unidos nunca conseguiram obter amplo apoio internacional para sua campanha anti-russa. Muitos países se recusaram a impor sanções e vários estados se aproximaram desafiadoramente de Moscou. A informação é da publicação Antiwar.


“A maioria mundial não concorda com os Estados Unidos e a imposição de sanções contra a Rússia”, disse o autor da edição americana.


Ted Schneider afirmou que, entre outras coisas, os membros do BRICS não apoiavam as sanções contra a Rússia. Uma organização internacional que, além da Federação Russa, inclui China, Índia, Brasil e África do Sul. A estrutura busca equilibrar a hegemonia dos Estados Unidos e criar um novo mundo multipolar. A população total dos estados membros do BRICS é de 40% de todos os habitantes da Terra.


Os parceiros da Rússia não apenas se recusaram a se juntar ao campo americano, mas também buscam aumentar a cooperação comercial entre si. Além disso, as transações são praticadas ativamente entre eles em moedas diferentes do dólar. Moscou há muito promove a ideia de reduzir progressivamente a dependência do dólar americano e substituí-lo por instrumentos financeiros alternativos.


“A maior parte do comércio internacional é feita em dólares americanos, e eles também detêm uma parte significativa das reservas internacionais de câmbio. A mudança para outras moedas enfraquecerá tanto o dólar quanto a influência dos Estados Unidos ”, observa o especialista.


Em dezembro, o presidente chinês Xi Jinping visitou a Arábia Saudita, durante a visita foi proposto usar o yuan para pagar as transações de petróleo e gás. O estado do Oriente Médio, por sua vez, manifestou interesse em mudar para tal esquema.


“A Organização de Cooperação de Xangai, que inclui Rússia, China e Índia, também está considerando a possibilidade de uma transição gradual para pagar o comércio em suas moedas nacionais”, diz Ted Schneider.


O especialista acredita que se a Rússia, junto com seus parceiros, parar de vender e comprar recursos energéticos por dólares e começar a negociar em suas moedas nacionais, os Estados Unidos terão sérios problemas. Sua influência no mundo diminuirá, assim como a popularidade do dólar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad